sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Seiva guardada



Nesta Cidade Novembrina,
Há tempo para escrever poema.
Tempos de outrora, tempos de agora
Tarde com floemas.

Porque  as letras não estão presas ao horário  oficial de Brasília,
Pode-se brincar com as palavras nos sorrisos.
Estrofes ocultadas em lágrimas.
Deveras,os sonhos são cantigas de roda que se realizam no movimento da ciranda.

Conversas de amigas acompanhadas de   frutas e flores.
Abacaxi com hortelã é saudável combinação.
Traz frescura ao paladar e aos escritos suave precisão.
A ponta da caneta tem como aliada o  guardanapo,
Para estabelecer forma a poesia e contorno à uma canção.

Respira-se o ar da amizade,
E o afeto de um dedo de prosa sabático.
Versos livres de métrica, Jovem Leitor.
Destinados a processar o social viver
Além, muito além,  das marés e ondas cibernéticas.

KAF-  VIC /Nov.2015