quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Poesia de Manoel Cândido Correia França



AQUARELA CONQUISTENSE

"Da Serra do Peri-Peri
Eu te vi,ConquistaVitória da Conquista
Ah! Quantos caminhões

Passaram pela Rio-Bahia,

Outros tantos pra romaria

Do Senhor Bom Jesus da Lapa...

Ah! Bem cedo eu te procuro

Das matas do poço Escuro

Até o Alto do Simão,

Eh, meu irmão...

Bairro Brasil, Zabelê,

Candeias, Bem-Querer

É bonito de se ver...

Bela Aquarela

Linda passarela

Não troco por outra

Nem à prazo nem à vista.

Sempre fostes e serásMinha Conquista!

Se me perguntam

Qual o orgulho De ser Conquistense

Se tudo que aqui existe

Não me pertence...

Pertence, com todo brio e fervor

Com todo brilho e penhor...

Sempre, sempre a te amarConquista, Vitória da Conquista

Quem passou na Baixa do Facão

Conquista esta paixão...

Quem molhou os pés

Nas águas do Aguão

Confirmou este refrão,

Conquista do meu coração... "

Um comentário:

  1. Manoel Candido sabia como poucos falar de geografia de forma poética, ao mesmo tempo amava o que lhe parecia mais simples e por isso tinha verdadeira admiração por Vitória da Conquista!

    ResponderExcluir

Obrigada por nos visitar.
Poetizar é preciso e embeleza a vida.
Abraços,KAF