domingo, 8 de novembro de 2009

Poesia de Antonio Vieira e Silva Filho

Imagem:Google

ESPERANÇA


As cinzas do tempo

parecem que passam e ficam.

As cinzas do tempo

parecem que pacificam.

Além do amanhã

há uma estrada perdida

e sentado à beira,

me regojizo

pois,ainda me resta a estrada.
Post@gem alusiva a semana comemorativa

sábado, 7 de novembro de 2009

Poesia de Anna Geruzia Bittencourt Ferraz

Imagem:Google


Zezé


"Partir para uma nova etapa de vida,

é um momento deflagrador que nos permite como as cobras,

sair da nossa própria pele e ressurgir em outra nova.

Se a imagem é forte,bem mais fortes foram os momentos vividos

enquanto ia perdendo a pele antiga."

Post@gem alusiva a Semana Comemorativa

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Poesia de Ricardo de Benedictis



POETA CONSELHEIRO


Eu sempre digo que a vida é bela,

Mas quanto é bela, tanto é fugaz

Quantos parentes já perdi, por ela

Quantos amores, para nunca mais...



Aproveita, o tempo é bom conselho

Evitando-se males e tristezas

Lembra-te, jovem, teu pai é teu espelho

Respeita a Lei que rege a natureza.



Já que a vida é breve, vive! Aproveita!

Pensa em vencer e a derrota não aceita!

Faz de contas que é breve teu futuro.



Quem sabe, assim, tu serás mais feliz

Plantando o amor, corta o mal na raíz

Pois colherás o fruto bem maduro!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Poesia de Elomar Figueira

Imagem:Google

Campo Branco

"Campo branco minhas penas que pena secou
Todo o bem qui nóis tinha era a chuva era o amor
Num tem nda não nóis dois vai penano assim
Campo lindo ai qui tempo ruim
Tu sem chuva e a tristeza em mim
Peço a Deus a meu Deus grande Deus de Abrãao
Prá arrancar as pena do meu coração
Dessa terra sêca in ança e aflição
Todo bem é de Deus qui vem
Quem tem bem lôva a Deus seu bem
Quem não tem pede a Deus qui vem
Pela sombra do vale do ri Gavião
Os rebanhos esperam a trovoada chover
Num tem nada não tembém no meu coração
Vô ter relampo e trovão
Minh'alma vai florescer
Quando a amada a esperada trovoada chegá
Iantes da quadra as marrã vão tê
Sei qui inda vô vê marrã parí sem querer
Amanhã no amanhecer
Tardã mais sei qui vô ter
Meu dia inda vai nascer
E esse tempo da vinda tá perto de vin
Sete casca aruêra cantaram prá mim
Tatarena vai rodá vai botá fulô
Marela de u'a veis só
Prá ela de u'a veis só"

* Em 2000,tive a oportunidade de ouvir Elomar entoar esta bela canção em uma roda de amigos lá na Casa dos Carneiros(Gameleira).
Post@gem alusiva a Semana comemorativa

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Poesia de Manoel Cândido Correia França



AQUARELA CONQUISTENSE

"Da Serra do Peri-Peri
Eu te vi,ConquistaVitória da Conquista
Ah! Quantos caminhões

Passaram pela Rio-Bahia,

Outros tantos pra romaria

Do Senhor Bom Jesus da Lapa...

Ah! Bem cedo eu te procuro

Das matas do poço Escuro

Até o Alto do Simão,

Eh, meu irmão...

Bairro Brasil, Zabelê,

Candeias, Bem-Querer

É bonito de se ver...

Bela Aquarela

Linda passarela

Não troco por outra

Nem à prazo nem à vista.

Sempre fostes e serásMinha Conquista!

Se me perguntam

Qual o orgulho De ser Conquistense

Se tudo que aqui existe

Não me pertence...

Pertence, com todo brio e fervor

Com todo brilho e penhor...

Sempre, sempre a te amarConquista, Vitória da Conquista

Quem passou na Baixa do Facão

Conquista esta paixão...

Quem molhou os pés

Nas águas do Aguão

Confirmou este refrão,

Conquista do meu coração... "

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Poesia de Camilo de Jesus Lima



Viola Quebrada

"Da viola pra muié
É pequena a deferença.
Ancê óia, escuta e pensa.
Eu juro, esta fala é franca:
A viola tem cabelo
Nas dez corda qui ela tem.
Tale quale uma muié,
Ela tem braço também
E tem cintura e tem anca.
A viola faz chorá
E chora a hora qui qué.
Tale quale uma muié,
Derrete toda na mão
Da pessôa qui qué bem.
Só inziste duas cousa
Qui ela tem e muié não:
É qui a viola de pinho
Tem alma e tem coração… "

Post@gem Alusiva a Semana Comemorativa

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Poesia de Laudionor Brasil




Slogan

"Wladimir, meu filho pequenino – olha bem as origens obscuras de onde vieste. Teu avô era um simples operário, humilde e bom. Eu – sou um simples proletário da pena. Nada, portanto, da pretensão de ser um poeta universal. Nada das intenções de ser um grande condutor de homens. Deverás viver no seio do povo, de onde vieste. Modesto, entre os humildes. Bom, entre os pequenos. Mas, se, um dia, passar no teu caminho o vulto de um tirano, não percas, Wladimir, a grande oportunidade: - Dá-lhe a mais firme pedrada que puderes. E terás conquistado para a tua vida um slogan maravilhoso: - Eu apedrejei um tirano "

Fonte:www.histedbr.fae.unicamp.br/acer_histedbr/.../BtpWonkv.doc
http://iconquista.blogspot.com


Post@gem Alusiva a Semana Comemorativa

domingo, 1 de novembro de 2009

Semana Comemorativa: Poesia em VIC

Imagem:Google

Hino a Vitória da Conquista


Euclides Dantas
Conquista, jóia do sertão baiano;

Esperança sorridente do Brasil

A ti, meu orgulho soberano.

O afeto do meu peito juvenil

A ti minha esperança no futuro

Os sonhos do meu casto coração,

És e sempre serás meu palinuro

Ó pérola fulgente do sertão

REFRÃO:


Conquista tesouro imenso…

O mais belo da Bahia,

Que primor, que louçania

Tem mais brilho aqui o sol;

Conquista terra das rosas,

De florestas seculares,

Tem mais amor em seus lares,

Que luzes no arrebol.

Deixar o doce encanto destas ruas,

Deixar teu céu que tanto bem almeja,

Eu morreria de saudades tuas

Minha querida terra sertaneja,

Entretanto, se a Pátria me exigir,

Deixar-te para a Pátria defender

Este afeto bairrista é vã mentira,

Pelo Brasil inteiro irei morrer!


Surge o sol, fogem pássaros dos ninhos!

Todos vão venturosos trabalhar;

Eu também imitando os passarinhos

Deixo o morno regaço do meu lar,

Para a escola caminho satisfeito,

Da Pátria vou saber as glórias mil

Conquista, que emoção vibra em meu peito…

Ao fitar-te no mapa do Brasil.