domingo, 26 de julho de 2009

Árvore Minha


Olhar longínquo em dia claro,
Te vejo frágil e indefesa
A noite, da minha janela observo estrelas,
Postes, orelhão e ficus encorpado

Comuniquei a proprietária do passeio que embelezas,
Esta adoção sem papel passado
Tão próxima e aconchegante
Coisa de amor resguardado

Multidão de folhas verdes e decididas
Cercada de pequeninas flores,teu adubo é amizade
Traslado de sonhos familiares,
Para a felicidade alheia das padocas, mercearias e salões de beleza.

Epifitismo declarado entre árvore nativa e ramos de buganvília.
Adormeces no inverno e renasces suavemente na primavera
No tráfego acelerado deste tradicional bairro,
És o coração da Rua Porto.

Aguardo-te!

KAF/VIC-2009

Um comentário:

  1. Linda foto e lindo poema! Voce esta escrevendo cada vez melhor, parabens!

    ResponderExcluir

Obrigada por nos visitar.
Poetizar é preciso e embeleza a vida.
Abraços,KAF