quinta-feira, 4 de junho de 2009

Ao Leitor



O limbo da folha em branco absorve os versos
Letras enternecidas acompanhadas de vocábulos sem rimas
Escape da métrica parnasiana em busca do risco
Criação lírica conjugada ao frio desta manhã de Junho

Não tenho caneta bico-de-pena,
Mas minhas mãos abraçam a causa da escrita
Depuram a angústia de garimpar expressões sonoras
E assim, transformá-las em poesia encantadora de tua psiquê.


Há esperança neste mundo desolado!
Sorrisos ao vento, apreço de Inverno
Fondue de belas canções
Metáforas semânticas aconchegantes


Degusta as dádivas póeticas!
São realizações do Criador nesta cachola literata
Distantes de cunho apelativo ou ideologia comprada
Confesso que cativar-te é o objetivo de um labor prazeroso .


KAF/VIC-2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por nos visitar.
Poetizar é preciso e embeleza a vida.
Abraços,KAF