quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

E ainda ontem...



Nos últimos dias fechastes o coração para balanço.
Tentavas encontrar nas variações dos365 o resultado do exercício
Piscastes os olhos no intento de sonhar com os dividendos de 2008
Parcelas de vitória incorporadas ao capital da vida humana no horizonte dos ângulos.

Decidistes modificar o critério "contábilvida" de 2007
Retificar os erros imputáveis das tuas atitudes
Reduzir os custos e tornar o amor um patrimônio líquido
Burilando as formas de amar mais rudes.


Analisastes as notas explicativas nas colunas dos jornais
Retratos de uma escrituração composta por sentimentos omissos
Imagens apuradas em cenários de retrospectiva televisiva
expert em ativo circulante habilitado no cárcere de cerébros inteligentes.


Leitura das metas listadas no saldo da conta lucros
Capital de giro anuário como vertente de comportamento
E na forma simples de primazia reflexiva, despojar os prejuízos acumulados
Para em 2009 viver com intensidade.


KAF VIC/2008

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Ciranda



"Vamos todos cirandar"
Ciranda da vida é tapete florido
Cigarra, sol, amigos e chuva.
Caminhos e estradas.
Brisa de verão em mês de primavera.


"Vamos todos cirandar."
Pássaro no ninho.
Flores e espinhos .
Amor de mãe e filho.
Anseio Juvenil.


"Vamos todos cirandar."
Ainda que a felicidade seja interrompida por demandas eventuais,
quebrando sem piedade os elos da ciranda.
Triste Descarte's de sentimentos.

"Vamos todos cirandar."
É o mote da roda viva.
Pronto socorro do coração aflito
no afã de exterminar a tirania capitalista em noites de luar.

"Vamos todos cirandar."
Era a cantiga de roda entoada no Recreio
No vai e vem dos solfejos das recordações de infância.
Misto de significados profundos.
Base holística no constructo do ser de cada dia.

"Vamos todos cirandar."
Beija-flor em fila de espera
para dar a meia volta sem interesses .
Simplesmente volta e meia só amar.


Kaf/Dezembro-2008

sábado, 6 de dezembro de 2008

O Deus dos Meus Pais




Grande Deus,
Quando pequena contaram-me de ti
Relataram os teus feitos e a tua soberania
E quão importante é ter a tua companhia.
Apreciei a aliança Noética
Tentei entender como gerastes a fé de Abraão.
Os fundamentos da confiança de Josué,
equilibrando a humildade e a força em um insensato coração.
Percebi que buscar a face de alguém que não podia ver
ultrapassava os limites da inteligência humana.
Que meditar nas sagradas escrituras
é a permissão divina para sobrevida ao espírito.
E assim, o tempo passou.
Tornei-me moça e depois mulher madura
Te elegi como Senhor da minha vida
Faço do teu amor a minha armadura.

Kaf-Dezembro/2008


*Senhor Deus,

Transforma a história daqueles que navegam por esse mar poético.*