quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

E ainda ontem...



Nos últimos dias fechastes o coração para balanço.
Tentavas encontrar nas variações dos365 o resultado do exercício
Piscastes os olhos no intento de sonhar com os dividendos de 2008
Parcelas de vitória incorporadas ao capital da vida humana no horizonte dos ângulos.

Decidistes modificar o critério "contábilvida" de 2007
Retificar os erros imputáveis das tuas atitudes
Reduzir os custos e tornar o amor um patrimônio líquido
Burilando as formas de amar mais rudes.


Analisastes as notas explicativas nas colunas dos jornais
Retratos de uma escrituração composta por sentimentos omissos
Imagens apuradas em cenários de retrospectiva televisiva
expert em ativo circulante habilitado no cárcere de cerébros inteligentes.


Leitura das metas listadas no saldo da conta lucros
Capital de giro anuário como vertente de comportamento
E na forma simples de primazia reflexiva, despojar os prejuízos acumulados
Para em 2009 viver com intensidade.


KAF VIC/2008

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Ciranda



"Vamos todos cirandar"
Ciranda da vida é tapete florido
Cigarra, sol, amigos e chuva.
Caminhos e estradas.
Brisa de verão em mês de primavera.


"Vamos todos cirandar."
Pássaro no ninho.
Flores e espinhos .
Amor de mãe e filho.
Anseio Juvenil.


"Vamos todos cirandar."
Ainda que a felicidade seja interrompida por demandas eventuais,
quebrando sem piedade os elos da ciranda.
Triste Descarte's de sentimentos.

"Vamos todos cirandar."
É o mote da roda viva.
Pronto socorro do coração aflito
no afã de exterminar a tirania capitalista em noites de luar.

"Vamos todos cirandar."
Era a cantiga de roda entoada no Recreio
No vai e vem dos solfejos das recordações de infância.
Misto de significados profundos.
Base holística no constructo do ser de cada dia.

"Vamos todos cirandar."
Beija-flor em fila de espera
para dar a meia volta sem interesses .
Simplesmente volta e meia só amar.


Kaf/Dezembro-2008

sábado, 6 de dezembro de 2008

O Deus dos Meus Pais




Grande Deus,
Quando pequena contaram-me de ti
Relataram os teus feitos e a tua soberania
E quão importante é ter a tua companhia.
Apreciei a aliança Noética
Tentei entender como gerastes a fé de Abraão.
Os fundamentos da confiança de Josué,
equilibrando a humildade e a força em um insensato coração.
Percebi que buscar a face de alguém que não podia ver
ultrapassava os limites da inteligência humana.
Que meditar nas sagradas escrituras
é a permissão divina para sobrevida ao espírito.
E assim, o tempo passou.
Tornei-me moça e depois mulher madura
Te elegi como Senhor da minha vida
Faço do teu amor a minha armadura.

Kaf-Dezembro/2008


*Senhor Deus,

Transforma a história daqueles que navegam por esse mar poético.*




sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Sexta-feira



Da minha janela aprecio as nuvens
Penso na grandeza do Deus Soberano
Arquiteto da Criação
Senhor a quem tanto amo.

Sinto o frio da manhã no meu rosto
O colo onde posso depositar o fardo
Entregar as angústias geradas pelas aflições terrenas
E volver os olhos a vitória conquistada na Cruz.
Nesta sexta-feira a tua existência é maior do que todas as cores.
Meu coração é inundado pela premissa do teu incondicional amor.
Nas horas regidas pela CLT
o compasso da graça renova a chama do meu coração.


Kaf-Novembro/2008

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Conquista Minha Vitória

Penso em tuas praças e ruas
Trilha da diversidade
Mistura de mata cipó e caatinga
Usos antigos e costumes da modernidade.

As redes neurais aceleram o percurso.
Bilhete gratuito adquirido no guichê Sertão da Ressaca
para apreciar a Imperial Vila da Vitória.
Parada neoclássica no Jardim das Borboletas e desembarque na Conquista Nova.

Ah, Cara Cidade! Procuro no teu clima, uma palavra destinada a compor esta rima.

Expressões cardíacas ao luar da infra-estrutura urbana.
Encontro no teu relevo humano suavemente ondulado,
a representação iluminada dos mosaicos da Serra do Periperi.


Vejo em ti uma Pólis de personalidade!
Com galhardia atemporal busca enfrentar os percalços desumanos do progresso
Ao bailar pelas críticas provincianas geradas em mentes pífias,
manifestas que teu valor reside na "Vitória " da simplicidade.
VIC, Kaf/Outubro-2008

domingo, 19 de outubro de 2008

Poesia Condensada






Nas entrelinhas da vida

proporcionar ao corpo e ao coração instantes de doçura

Angústia do pensamento

Merengue de ternura.




Condensar a poesia

por ora, pode limitar os sonhos em caixas.

Espalhar matizes sóbrias na cachola

anular o efeito célula máter das palavras

e até mesmo, impedir a formação do ser.




O verdadeiro poeta

traz a poesia engendrada no seu DNA.

Às vezes, a inspiração pode emergir por osmose

Noutras, o PH da inspiração se alia as substâncias químicas da metamorfose poética.




Paredes rompidas pela sensibilidade

Razão colocada à prova.

Pura tapeçaria pós-moderna

trançada no imaginário dos poetas.

Essência que se renova.




VIC,KAF/12/07




sábado, 18 de outubro de 2008

Trilha Urbana


Concreto e portas fechadas
Pedraria associada as vigas espessas
O mar em meio a vibração do asfalto
Eterno querer bem.

SSA,KAF/12/07

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Gentileza


Caros Leitores,
Abro uma exceção nas postagens poéticas, a fim de manifestar os meus agradecimentos a Querida Zane, pelo envio das flores tão belas.
Em pleno século XXI, existem pessoas gentis e possuidoras de um coração onde o afeto é a premissa maior.
Feliz por receber Flores.
Abraços,
KAF

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Lentes Machadianas



Os seus olhos não possuem mais a visão de outrora.
Ora vividos e inquietantes, ora românticos e realistas
Tornou-se Casmurro pela ação do tempo!
Retratos congelados em Memorial de Aires nos livros de literatura Brasileira.

Entretanto,a mão continua sendo o alicerce do sonho
expresso no contorno das letras.
E a luva, a força motriz que o alimenta.
Faz art-nouveau no cerébro da geração XXI
no intento de irradiar em redações criativas o efeito multicor das Crisálidas dos sentimentos .

O que importa é abdicar as Relíquias da Casa Velha
e contemplar a psiquê de Helena sem Protocolo.
Na certeza do apreço e cantilenas literárias distantes.
Sim, distantes de registros aleatórios que transformam escritos em Páginas Recolhidas.

Procurou transcrever a percepção multifacetada do viver
Cenários projetados em Contos fluminenses
Histórias divergentes da performance Americana
De Brás a Cubas, com estilo e elegância naturalmente Brasilis.




VIC,07 /10/08-Kaf

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Janelas

A vida é como uma janela
Múltipla ou difusa
Colorida ou simples
Tem por cortina a alma
E o espetáculo, a felicidade de quem abre basculantes e frestas
em busca de novas expectativas e caminhos.
Traz ventos de boa prosa
segredos do olhar
Viagem de pensamento
memorial de lembranças.
Janelas abertas com muitas flores
Transbordam amores
Afastam do espírito muitos temores.
Janelas métricas
forjadas no esforço do mestre-operário.
Aguardam o vidro transparente
sentimentos e sutilezas,
espelho d'agente.
Janelas redondas, quadradas
pequenas ou grandes
refletem a personalidade do ser
Pessoas pelo mundo afora
quebrando ou criando redomas em seu viver.
Janelas são metamorfoses lúdicas
gestão de complexidades
bailando na música do tempo
contrapondo o compasso das horas.
Coisa de indíviduo bicho-homem
para aliviar do sistema a brevidade.
Portanto, leitor ou poeta
Cuide bem da sua Janela
Ainda que o lirismo seja mínimo
E tenha pouca farinha na gamela!
A construção da vida exige dedicação
Tijolos são atitudes e sinceridade é cimento
Juntos,convertem ações em história
Eternizando as janelas do coração.
VIC,Kaf/09/2008

domingo, 21 de setembro de 2008

Caminhante






Nesta vida de incertezas,
sou caminhante.
Entre flores e espinhos
busco firmar minha trilha.
Me desfaço dos atalhos,
para vislumbrar o horizonte ao entardecer.
Amanhecer para abrir os armários fechados
pela rigidez da vida.
E atenuar as densas arestas da contemporaneidade.


Kaf

*Rascunho em guardanapo /SSA.









Fazer Poesia


Contemplar o céu
Inebriar de sonhos
Aguçar a emoção
Equilibrar a razão em um organograma funcional.
Beber o elixir da juventude
Promover os fonemas
para despertar em mil tremas os verbetes do dicionário.

Unir as duas metades da laranja,
o leitor e o poeta.
Esferas do tempo presente
expostas no côncavo e no convexo urbano.

Escrever em uma noite de domingo
Para desejar aos amigos uma semana poética.
Sobretudo, agradecer a Deus ,o autor da Fé,
que tem renovado a confiança.

Ser polivalente nos mistérios da escrita
Redesenhar os processos da vida sem Benchmarketing
Reengenharia patente de uma felicidade sem espécie.

Escovar os dentes
Passar perfume e retornar para terminar estes versos.
Boa Noite!
Kaf



domingo, 7 de setembro de 2008

Para Marianne-Em12





Menina formosa
Do vestido de fita
És sorridente e bonita.
Andando toda prosa,
Traz na mão uma rosa.


Foi no cinco de setembro
Que o bom Deus te trouxe ao mundo
Encheste a casa de alegria
E amor profundo.
VIC,Kaf/09/08









segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Palavras


Palavras são como flores
Aliviam as dores.
Palavras são como gelatina
Acariciam e fortalecem o paladar.

Composta por oito letras
transformam emoção processual em sílabas.
Destila graça sob a luz dos encontros palavrálicos
Proferidas com sabedoria são convertidas em ouro;
Falsa, é como espada desembanhada
reflete os hiatos do coração.

Nesta noite de sábado as palavras transpiram
Vocábulos poéticos outrora inertes.
Cerceadas por jogos hidráulicos, emergem centelhas de esperança
Motivação notívaga de poeta conquistense.
VIC,Kaf/08/08

sábado, 23 de agosto de 2008

Meus primeiros versos


Meu olhar decadente...

Não quero ser igual a Tiradentes

Que arrancava o dente de toda a gente.


Kaf/1980

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Na Rede



Convido você a poesiar.
Na web, no mundo real, nos teus sonhos.
Hoje, o tempo não espera!
Insiste em despertar letras guardadas.
Palavras escondidas em um coração juvenil.


A arte da escrita é como uma trama

Composta por sistema binários ou por clichês cibernéticos.
Prenúncio usual de fim de semana
Que vai se transformando em grãos dilacerados pelos downloads da zona urbana.


Pensei muito e quase cai na realidade
Variedade das formatações concretas
atualizando as ferramentas poéticas
Para espalhar na tua rotina ícones de beleza,
Pois a vida é linda quando se tem palavras.

Kaf/VIC-2008


BEM -VINDO AO POESIA NA REDE!